domingo, 14 de dezembro de 2008

Um poema lindo, com link para mais poemas de Suzette Rizzo

ANSIEDADE
Suzette Rizzo

Certa ansiedade amarrota meus dias,
amortiza a poesia
e não quero mais
escrever trancos da vida,
insensatez de outro ser,
nenhuma nocividade ativa.

Contudo, não posso exterminar de vez
o pensamento que já não brota
como a nascente de um rio,
embora a alma não queira
turbulências imprevistas,
nem pavios acesos com carência afetiva.

Certa ansiedade
turva um pouco a vista
e dá nó de marinheiro,
unindo restos de inspiração
à paixão semi-afogada
nos mares da vida.

Eu quero mesmo um final definitivo
nesse delito repetido
e nunca mais a ousada perturbação
apontando a esquina,
expondo a fraude no sorriso.

3 comentários:

Suzette Rizzo disse...

Que alegriaaaaaaaaa!!!!Estou muito muito feliz, minha amiga querida, por estar mais uma vez no seu lindo e excelente blog.Agradeço de coração esse presente, lindinha.
Montão de beijinhos

Suzette Rizzo disse...

Que alegriaaaaaaaaa!!!!Estou muito muito feliz, minha amiga querida, por estar mais uma vez no seu lindo e excelente blog.Agradeço de coração esse presente, lindinha.
Montão de beijinhos

Ana Suzuki disse...

Gília,

Você tem visto como a Suzette é talentosa. E sabe, como eu, o quanto seus poemas devem ser divulgados. Sofrer todos sofrem,
mas transformar isso em obra de arte é um dom divino. O poema que você escolheu é particularmente lindo (e útil no combate à estagnação). Parabéns a você e a ela.